Greve de vigilantes deve afetar atendimento bancário em Londrina

Os vigilantes do Paraná deverão entrar em greve no dia 1º de fevereiro. A paralisação em Londrina deve mobilizar cerca de 2 mil profissionais e afetar as 77 agências bancárias da cidade. A categria pede reajuste de 16,2%.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Vigilantes de Londrina, Orlando Luiz de Freitas, a greve por tempo indeterminado foi aprovada durante assembleia realizada na noite da quarta-feira (23).

Ele comentou que os vigilantes querem a correção da inflação em 6,2%, além de aumento real de 10% e equiparação do adicional de periculosidade em 30%.

De acordo com o Sindicato dos Bancários em Londrina, a greve poderá afetar o funcionamento das 77 bancos e nove Postos de Atendimentos Bancários (PABs) da cidade. São necessários no mínimo dois vigilantes para que as unidades funcionem normalmente.

No entanto, de acordo com Freitas, nenhum local deverá abrir sem que seja colocado um novo reajuste salarial. “Não vamos permitir nenhum vigilante nos bancos. Queremos pressionar mesmo”, afirmou.

Na próxima quinta-feira (31) está programada uma última assembleia antes da paralisação. A intenção é que o sindicato patronal apresente uma proposta que atenda a pauta de reivindicações. “Estamos aptos a negociar”, disse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *