Vigilantes de MS abandonam CUT e filiam-se a UGT

Os vigilantes de Campo Grande e região resolveram formalizar o seu ingresso à UGT – União Geral dos Trabalhadores de Mato Grosso do Sul como mecanismo de fortalecimento da categoria no Estado de Mato Grosso do Sul. A decisão ocorreu com o apoio de todos os diretores e assinado pelo presidente Celso Adriano Gomes da Rocha, que manteve a mesma postura que sempre norteou a luta da categoria, de caminhar em unidade em busca da melhor opção para o sindicato. A saída da CUT-MS foi uma decisão pensada e decidida de comum acordo para enfrentar os desafios que a categoria terá nesta nova fase de sua existência.

O ato de filiação aconteceu nesta quarta-feira, 30, na sede do Seesvig – Sindicato dos Empregados em Empresas de Segurança Privada de Campo Grande e Região, na presença de todos os diretores da entidade, quando o presidente da UGT, Fábio Bezerra, acompanhado do seu diretor financeiro e presidente do Sisem – Sindicato dos Servidores Municipais, Marcos Tabosa, fez um breve relato da história da UGT, apresentando para a categoria dos vigilantes as bandeiras que a entidade defende e a forma como ela opera para fortalecer a luta dos trabalhadores no Mato Grosso do Sul e no Brasil.

À véspera de uma mais uma greve em Campo Grande e no Estado, em função da recusa das empresas do setor em pagar a histórica conquista do adicional de 30% de risco de vida, projeto este sancionado no final de 2012 pela presidente Dilma Roussef, os diretores confessaram que estavam abandonados nesta luta em mais uma campanha grevista pela categoria.

O ingresso do Seesvig à UGT representa um grande avanço na política de expansão da entidade no Estado, especialmente pela força representativa do setor de segurança privada, vista como um dos segmentos que mais crescem em termos de trabalhadores e organização, principalmente com a aproximação dos dois grandes eventos esportivos que o País vai sediar, que é a Copa do Mundo e as Olimpíadas.

Devido a força representativa dos vigilantes de Campo Grande e região, o sindicato da categoria em Naviraí, presidida por Adilson Rodrigues, também decidiu abandonar a CUT e filiar-se à UGT, engrossando o setor da segurança privada no Estado, faltando ainda a filiação dos vigilantes de Dourados para completar toda a categoria nas hostes da UGT.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *