Vigilantes do MS conquistam mais uma vitória no MPT contra a empresa Fortesul

O Ministério Público do Trabalho foi palco de mais uma vitória dos vigilantes que trabalham para a Fortesul. Somente com a mediação foi possível garantir o recebimento dos direitos dos trabalhadores que vem sofrendo com a incapacidade da empresa de gerir suas atividades no MS.

Por isso, no dia 28/09 os Sindicatos SEESVIG-MS, SEESVDA-MS, SVNR-MS acompanhado de sua assessora jurídica Drª Bárbara Grassi, diretores e trabalhadores do Contrato Banco do Brasil, estiveram presente no MPT junto ao Banco do Brasil e Empresa Fortesul, tendo a mediação conduzida pela Procuradora Rosimara Delmoura Caldeira e após longo debate chegou as seguintes decisões:

A ) – Continuidade de pagamento das verbas salariais dos trabalhadores do contrato vigente junto ao Banco do Brasil e empresa Fortesul até o mês de novembro de 2015;

B) – Pagamento das férias a vencer dos trabalhadores do contrato Banco do Brasil e empresa Fortesul até o mês de novembro de 2015;

C) – Pagamento das verbas salariais dos trabalhadores do setor administrativo (RH) até o término do contrato no mês de novembro de 2015;

D) – Pagamento das verbas salariais dos diretores Catarino e Adriano, sendo que os mesmos são funcionários da empresa e cedidos para atividades sindicais junto a seus sindicatos e que por 06 (seis) meses não recebem salários, nem o tickets alimentação;

E ) – Pagamento das Contribuições Associativa até o mês de novembro de 2015 dos trabalhadores do contrato Banco do Brasil, lembrando que desde o ano de 2014 a empresa não repassa para os sindicatos os valores descontados descontados dos associados e somente ao SEESVIG-MS a empresa deve algo em torno de 170 mil reais e mesmo assim o sindicato continua defendendo o direitos dos trabalhadores.

F) – Com relação ao pagamento das verbas rescisórias dos trabalhadores do contrato Banco do Brasil que já foram demitidos, os sindicatos solicitaram uma posição da empresa e ficou assim decidido:

1) – (5) cinco dias úteis para a Fortesul apresentar para o Banco do Brasil a relação dos trabalhadores com seus valores rescisórios a receber;

2 ) – O Banco do Brasil terá (15) quinze dias para avaliar a relação e seus valores, e posicionar-se na questão de “Pagar ou Não Pagar” as verbas rescisórias. Como mediadora do conflito, o Ministério Público do Trabalho sugeriu que, caso o valor retido não seja suficiente para fazer o pagamento integral dessas verbas rescisórias que faça um acordo com a concordância dos trabalhadores, onde o valor seja distribuído entre os trabalhadores e o restante das verbas seja pleteado judicialmente.

Diante de mais esta vitória em favor dos trabalhadores, o SEESVIG-MS festeja como os Sindicatos de Dourados e Navirai a unidade que fortalece a profissão no Estado, proporcionando diversas conquistas a toda categoria, bem como aos diretores da Frente de Luta; os trabalhadores envolvidos nesta conquista e o Ministério Público do Trabalho, através de seus procuradores, que continua firme no seu propósito de defender os direitos dos trabalhadores nas mais conturbadas mediações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *