Vivo com uma pessoa infetada com COVID-19. O que devo fazer?

As medidas de segurança difundidas pela Organização Mundial de Saúde são claras, caso esteja a viver na mesma casa do que alguém que testou positivo para a COVID-19. Esclarecemos as medidas principais a ter em conta.

A maior parte das pessoas que testam positivo ficam em isolamento, nas suas casas, não havendo necessidade de recorrer às unidades de saúde. Contudo, agora mais do que nunca é essencial pensar na logística do seio familiar, para que possamos todos ultrapassar esta fase com a i VER GALERIA Edição impressa Assinar maior segurança.

Caso viva na mesma casa que um familiar que testou positivo para SARS-CoV-2, é recomendado que:

– O familiar infetado fique em isolamento, numa divisão bem arejada e ventilada. É imperativo que o familiar que testou positivo tenha apenas um cuidador, se possível alguém sem patologias, doenças crónicas associadas ou que possa comprometer o seu sistema imunitário. Os restantes membros da família devem mudar temporariamente de residência. Caso isso não seja possível, devem manter sempre a distância de 1 a 2 metros.

– Partilhar a mesma casa de banho é desaconselhado, mas caso não seja possível, o familiar infetado deve utilizar máscara sempre que possível e lavar as mãos com água e sabão ou desinfetante e só depois partilhar a mesma divisão, nem que seja por breve segundos. Todas as divisões compartilhadas devem ser limpas e higienizadas após a sua utilização. As toalhas utilizadas para o banho devem ser separadas aquando da sua secagem e as mãos devem ser limpas com papel e não com toalhas de algodão compartilhadas.

– A higienização da sua casa deve ser efetuada diariamente, com detergente para a limpeza e com lixívia ou uma solução desinfetante à base de álcool para a desinfeção. Atenção que o desinfetante à base de álcool utilizado em superfícies não deve ser o mesmo utilizado nas mãos, uma vez que a percentagem de álcool utilizada nas mãos pode danificar as superfícies. Não esquecer que o cuidador deve usar máscara e luvas neste processo e deve começar por desinfetar a mobília, como a mesinha de cabeceira, a cama e outros móveis no quarto e posteriormente as superfícies mais comuns e de toque frequente, onde o doente possa ter tocado com as mãos: maçanetas, mesas, interruptores, torneiras e telefones. É importantíssimo respeitar os tempos de atuação dos produtos. Isso vai assegurar a desinfeção da sua casa.

Saiba mais AQUI.

– O cuidador deve ter atenção após o contacto com o familiar infetado ou com objetos do espaço onde o doente se move, lavando sempre as mãos de acordo com as normas de Lavagem de Mãos difundidas pela OMS e pela DGS. Um bom exemplo é antes e depois de preparar a comida e depois de usar a casa de banho.

– O cuidador deve também ter em consideração que é essencial usar uma máscara limpa e bem ajustada à boca e nariz quando estiver na mesma divisão que o familiar doente. Não deve de modo algum tocar na máscara com as mãos após esta estar colocada. Essa máscara deverá ser imediatamente descartada quando o cuidador sair da divisão onde se encontra o familiar doente, lavando de seguida as mãos com água e sabão, durante mais de 30 segundos.

– A loiça e a roupa devem ter manuseadas com especial cuidado. A loiça deve ser lavada a 60 graus e com intensidade. A roupa deve ser também manuseada com atenção para que as partículas infetadas pelo vírus, presentes nas fibras da roupa, não se espalhem. Deve utilizar luvas e máscara quando tratar da roupa suja, sem esquecer a desinfeção do recipiente de transporte da roupa.

– Desaconselha-se a partilha de objetos entre o familiar infetado e as restantes pessoas do seio familiar, como loiça, escovas de dentes, toalhas, bebidas ou cigarros.

– O lixo produzido pela pessoa doente deve ser bem acondicionado e isolado dos restantes resíduos num saco de plástico, que deverá ser totalmente selado. No final do processo de limpeza, a pessoa responsável pelo tratamento dos resíduos deve deitar fora as luvas e as máscaras utilizadas durante o processo. O lixo produzido NUNCA deve ser colocado em ecopontos. Todos os membros da família também devem ter este cuidado com o lixo produzido pelo núcleo familiar.

A Organização Mundial da Saúde lembra que todos os cuidadores expostos a pessoas com Covid-19 devem estar vigilantes em relação ao seu estado de saúde, permanecer alerta e manter um canal de comunicação com profissionais de saúde até que os sintomas desapareçam completamente. Para saber mais informações, pode consultar o nosso último artigo, que contém informações adicionais,

AQUI.

“É extremamente importante que todos cumpramos as normas de saúde. É assim que vamos quebrar as cadeias de transmissão (…), suprimir o vírus e proteger os sistemas de saúde”; Tedros Adhanom Ghebreyesus, Diretor-Geral da Organização Mundial da Saúde (OMS).

A Seta Verde – Higiene, Lda. pertence ao Grupo Extermínio. Implementamos Sistemas de Higiene e Limpeza e comercializamos uma vasta gama de produtos de limpeza e desinfetantes autorizados no mercado português, o que significa que somos detentores das autorizações de venda no território nacional dos nossos desinfetantes, seja pela Direção Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV) e/ou Direção Geral de Saúde (DGS).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *