Vigilantes de Campo Grande mobiliza a categoria por vacinação urgente

Os diretores do SEESVIG-MS (Sindicato dos Empregados em Empresa de Segurança Privada de Campo Grande e Região), representando todos os vigilantes de Mato Grosso do Sul, deflagraram hoje, dia 28, uma mobilização, que está sendo realizada na frente da Assembleia Legislativa, na sede do Governo Estadual e na Secretaria de Saúde, pela vacinação urgente dos trabalhadores deste segmento.

Coordenado pelo presidente do Seesvig –MS e da FITV (Federação Interestadual dos Trabalhadores Vigilantes), Celso Adriano Gomes da Rocha, a mobilização deseja chamar a atenção das autoridades sanitárias estadual e municipal para a importância de vacinar os vigilantes do Estado, pois entende que estes trabalhadores estão em risco ao manter constante contato com as pessoas que adentram em agências bancárias, instituições governamentais e demais localidades onde o profissional faz a defesa da vida e patrimônio.

Como parte integrante das forças de segurança nacional, os vigilantes sentem-se alijados pelo poder público nesta pandemia por não terem sido incluídos no grupo de risco para serem imunizados emergencialmente, o que tem causados grandes baixas de trabalhadores desta categoria.

Vigilantes estão entre os trabalhadores que mais morrem por Covid-19, segundo dados publicados nos meios de comunicação. De acordo com a publicação, a morte de vigilantes – inclusive profissionais terceirizados como os que monitoram a temperatura na entrada de centros comerciais – aumentaram 59 % entre janeiro e fevereiro de 2020 e o mesmo período de 2021.

Preocupado com as mais de 50 mortes de vigilantes em Mato Grosso do Sul, o Seesvig-MS pediu socorro ao Governo do Estado, pediu ainda a intervenção do secretário de Saúde, Geraldo Rezende, bem como de todos os deputados para incluir os vigilantes no Decreto 10.282 de 20 de março de 2020 e regulamente a Lei 13.979 de fevereiro de 2020, que torna a categoria como essencial e inclua os vigilantes no PNI (Plano Nacional de Imunização) com a vacina já!

O QUE DISSE O SECRETÁRIO DE SAÚDE?

Após ter protocolado ofício no governo do Estado e na Secretaria de Saúde há duas semanas pedindo atenção aos vigilantes na vacinação, Celso foi recebido nesta manhã pelo Secretário de Saúde, Geraldo Rezende e ouviu uma desculpa esfarrapada de que o governo do Estado não pode fazer nada, pois é o Governo Federal quem realiza inclusão de novas categorias no plano de vacinação emergencial, eximindo toda a responsabilidade sobre esses trabalhadores que atuam no Mato Grosso do Sul, ou seja, lavou as mãos para estes trabalhadores.

Sem poder fazer grandes mobilizações em nome da biossegurança, os vigilantes vão continuar mobilizados e postados em número reduzido na frente da sede do governo do Estado, na Secretaria de Saúde, bem como na Assembleia Legislativa até que uma resposta favorável seja dada à categoria e o número de óbitos desses trabalhadores diminua em Mato Grosso do Sul.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *