Saiba como investir na carreira de segurança pessoal privada

A segurança pessoal privado é um mercado que, embora tenha pouca oferta ainda é um dos mercados mais procurados pelas pessoas ou profissionais da segurança que buscam uma vaga no mercado de trabalho.

Conhecido também como Guarda-Costa, o Vigilante em Segurança Pessoal Privada (VSPP) é o profissional com formação em curso de vigilante e com a devida extensão na área de segurança pessoal.

Primeiro é preciso passar por curso de Formação de Vigilante oferecido por empresas de segurança privada na modalidade presencial, devidamente licenciadas pela Polícia Federal, órgão que controla a atividade no Brasil por meio da Portaria Nº 3.233/2012 (DG-DPF).

Curso para segurança pessoal privada

Depois de formado, o profissional poderá ingressar em Curso de Extensão onde vai aprender as técnicas da segurança pessoal e obter a licença par atuar no mercado. Vale ressaltar que, para exercer a atividade, é preciso ser contratado por uma empresa de segurança, não sendo permitido o exercício da profissão de forma autônoma, sem o contrato da empresa prestadora do serviço.

No caso da segurança de autoridades de estado, o serviço de proteção pessoal é, na maioria das vezes, feito por policiais devidamente treinados na segurança de dignitários, como também é conhecida à profissão, embora possa ser feito também por vigilantes por meio da empresa em que presta serviço.

Mercado da segurança pessoal

Autoridades, artistas e empresários são os maiores clientes do serviço de segurança pessoal privada, devido ao fator de risco em que estão expostos no dia a dia da atividade profissional. Assim como toda empresa, os contratos de segurança pessoal podem variar de um dia de serviço até vários meses, dependendo da demanda e necessidade do contratante.

Quanto às armas permitidas na segurança pessoal, podem ser usados revólveres ou pistolas de calibre 7,65mm ou 380mm, além de coletes à prova de balas e veículos blindados, seguindo as normas regulamentadas pelo Comando Logístico do Exército Brasileiro.

O agente de segurança pessoal deve ser muito bem treinando, com capacidade técnica, operacional, física e psicológica. A profissão exige alto nível de concentração, vida pregressa sem antecedentes criminais e, acima de tudo, estar pronto para tomadas de decisões rápidas, sempre prevenindo e antecipando cenários de riscos que possam representar perigo ao protegido.

Modo de vida do segurança pessoal

Quanto à rotina do Agente de Segurança Privado (ASP), é preciso que ele seja uma pessoa resguardada, com princípios morais e éticos inquestionáveis, evitando frequentar locais impróprios para um agente de segurança, como bares, prostibulo, jogatinas e outros, evitando o uso de drogas lícitas e ilícitas que possam comprometer sua reputação no mercado de trabalho. Seu ciclo de amizade deve ser muito bem filtrado, pois tudo isso conta na hora de uma contratação. Grandes empresas buscam profissionais com boa reputação, e muitas vezes até fazem investigação da vida pregressa do candidato a uma vaga no mercado da segurança.

Embora seja glamorosa e cheia de status, a profissão de Segurança Pessoal Privado é um mercado de alto risco, exigindo o máximo do profissional e das empresas que os contratam.

Outra dica válida, é que o agente de segurança privada deve investir em sua carreira de forma continuada, assim como qualquer outro profissional, devendo investir em leitura, vídeos sobre a profissão, treinamentos, palestras, Workshop e no aprendizado de novos idiomas.


Izaias Sousa
Especialista em Segurança Pública e Privada

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *