Vigilantes de MS iniciam campanha salarial 2012

A categoria está em campanha salarial por melhores remunerações e boas condições de trabalho. A pauta aprovada pela assembléia geral no final de 2011, foi entregue aos “patrões” no início de janeiro de 2012 e a primeira rodada de negociação aconteceu no dia 06 de fevereiro, na sede do sindicato patronal.
A primeira rodada de negociação contou com a participação dos presidentes do Seesvig (Campo Grande), Celso Gomes da Rocha; Seesvda (Dourados), Antonio Ferreira Goes e SVNR (Naviraí) Admilson Rodrigues, acompanhados do advogado Alceu Reis Filho e membros de ambas diretorias. Do lado patronal, além do presidente, Francisco Moura (Cifra), estavam presentes ainda representantes das empresas Mega Segurança, Fortesul, Prosegur, Brinks, MJB e Segura.
Após várias horas de debates, foram discutidas apenas 25 cláusulas de cunho social, ficando evidente a dificuldade para encaminhar as cláusulas econômicas em função das empresas já terem demonstrado pouco interesse em avançar nesse sentido.
Sem avanços na primeira rodada de negociação, os vigilantes ameaçam fazer greve. São responsáveis pela segurança de setores de indústria, comércio, órgãos públicos e privados e o sistema financeiro, como bancos, cooperativas de crédito e caso decida pela paralisação, as agências bancárias não poderão funcionar devido à lei 7.102 que não permite a abertura sem a presença de, no mínimo, dois vigilantes.
“Estamos abertos para negociação, mas se não houver uma proposta que atende dignamente a nossa categoria com certeza iremos deflagrar a greve”, avisa o presidente do Sindicato dos Vigilantes de Campo Grande e região, Celso Adriano Gomes Rocha.
Além da capital, Dourados e Naviraí também estão na luta nestas negociações. Em todo o Estado existem aproximadamente 8.200 vigilantes, desses 70% são sindicalizados. O salário base da categoria é de R$ 784,72. Para esta negociação, reivindicam um reajuste salarial de 15,5%, além de 30% no atual risco de vida e vale alimentação de R$ 12,00 por dia trabalhado; plano de saúde; escala no transporte de valores; gratificação para os vigilantes de bancos, entre outros avanços que a categoria acha primordial avançar. Novas rodadas de negociação devem acontecer nesta semana e somente após concluir as negociações é que a categoria decidirá pela paralisação nesta campanha salarial.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *